Vale tudo, mesmo tirar olhos
31
Ago 14
Pirateada por João Rodrigues, às 10:51Ligação da mensagem | Bombardear

Diz este cromo (outro - é a única coisa boa da política portuguesa) estar surpreendido com o que se passa na câmara de Lisboa. Eu tinha ideia que o presidente da câmara se chama Toninho Costa, mas posso estar enganado. Entregou a intendência do município ao Manuel Insosso (primo do outro ...) para se poder dedicar às "grandes" questões políticas debatidas na Circulatura do Quadrado e "referendadas" na última eleição autárquica para Lisboa segundo o próprio Toninho Costa, levando-o a considerar-se o salvador da piolheira. Se chegar a primeiro disto vai ser lindo, vai. Votem nele, votem e depois queixem-se do resultado.


23
Jul 14
Pirateada por João Rodrigues, às 13:28Ligação da mensagem | Bombardear

Quando se vai à caça, esquinas é o que existe mais na mata; e esquinas das árvores ainda existem mais. Este Tóino Costa é fantástico.


14
Mai 14
Pirateada por João Rodrigues, às 14:50Ligação da mensagem | Bombardear

Uma coisa qualquer que serve para qualquer coisa que eu não consigo perceber o quê, "deliberou" que o conselho de ministros extraordinário se pode realizar a 17 de Maio e a famigerada conferência do BCE a 25 de Maio também se pode efectuar.

 

Isto porque quem nos governa considera que os eleitores são burros e parvos, sendo necessário um organismo estatal para "supervisionar" a campanha eleitoral. Aquela coisa dos cartazes com mensagens racistas, por exemplo - a entidade passa uma multa e ficam todos contentes e felizes. Se o cartaz é racista, façam queixa e vão a tribunal (servem para isso os tribunais). Não é necessário um organismo para supervisionar ou controlar, passar multas e ficarem felizes porque foram paternalistas para com as pessoas.


20
Dez 13
Pirateada por João Rodrigues, às 14:43Ligação da mensagem | Bombardear

A convergência das pensões foi chumbada pelo tribunal inconstitucional, porque foi quebrado o princípio da confiança. O tribunal invoca o artigo 2.º da constituição - segundo a interpretação dos doutos juízes, o princípio da confiança está lá. O artigo é o seguinte:

 

 

Artigo 2.º

Estado de direito democrático

 

 

A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efectivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes, visando a realização da democracia económica, social e cultural e o aprofundamento da democracia participativa.

 

 

Eu devo ter um problema psico-cognitivo, porque ao ler o artigo não está nada parecido nem se consegue deduzir nada semelhante (mas o problema - mental - deve ser meu. Afinal, os juízes constituem o supra-sumo do direito torto). Tanto está o princípio da confiança como o não princípio da desconfiança ou o princípio da parcialidade do total.

 

O desgoverno pode aproveitar a decisão e extinguir a caixa geral de aposentações e juntar todas as pensões no regime geral da segurança social. Se tiver coragem para isso - deviam tê-lo feito no início da legislatura.


03
Dez 13
Pirateada por João Rodrigues, às 14:03Ligação da mensagem | Bombardear

O Joãozinho Bilhim, chefe da Krezape, quer avaliar o trabalho feito pelos dirigentes por si escolhidos. Para isso vai propor uma alteração à lei do organismo a que preside. A seguir irá reivindicar mais funcionários porque terá um volume maior de trabalho. Pensando no futuro da entidade, quer receber bago pelos serviços prestados (para receber menos do orçamento de estado, presumo eu. Tanta consideração pelo pilim dos nossos impostos deixa-me comovido).


 

Refere na entrevista querer passar para a escolha das chefias intermédias das entidades estatais. Depois vem o quê? A ideia de escolher os próprios funcionários públicos (administrativos, por exemplo) e tratar da sua avaliação? Fala em alterar a forma de escolha do presidente do órgão, para um sistema semelhante ao do provedor de justiça - eleição na assembleia da república por 2/3 dos deputados (deve ter como objectivo evitar a partidarização da instituição: deixa-me rir).


Quando dermos por isso, a entidade será um monstro burocrático, impossível de extinguir. Pensando que tudo começou com o nobre princípio de querer evitar compadrios na escolha dos dirigentes da função pública.


21
Ago 13
Pirateada por João Rodrigues, às 14:03Ligação da mensagem | Bombardear

Existe uma coisa chamada Comissão Nacional de Eleições que "regula" as campanhas eleitorais. O douto chefe da coisa, não tendo mais nada que fazer, lembrou-se disto. A proibição abrange o correio electrónico e os sms, mas não o correio - deixo o apelo aos partidos para bombardearem as pessoas através de cartas escritas.

 

«Podem divulgar as suas iniciativas, mas sem fazer propaganda política.» Vou deixar outra ideia para ponderação dos membros da entidade: proibição das campanhas eleitorais e de todo o tipo de propaganda política através de qualquer meio de comunicação.


Quem é o cromo?
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


A marear desde
3 de Julho de 2008
Sucata
2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Pesquisar
 
RSS
blogs SAPO